13 Reasons Why - Uma outra visão

Esta semana finalmente eu consegui terminar de ver toda a serie que a Netflix produziu. A tão falada 13 Reasons Why, é uma serie que está dando o que falar por ai, e aborda muitos assuntos relacionados aos adolescentes e, claro, como o universo vivido por eles podem levar a casos graves, como o de suicídio. 

 

Bem, não pretendo e nem vou dar nenhum spoiler sobre a serie e seus episódios, que são divididos em lados das fitas deixadas pela a jovem Hannah, mas se você não viu, seria bem bacana assistir antes de prosseguir com este pequeno texto sobre o assunto. Assim, talvez você pode compreender melhor a mensagem dele.


Primeiro ponto que precisamos observar e levar muito em consideração, é que quando vamos avaliar o seriado, é de que ele se passa no contexto de uma cultura americana, isso mesmo, uma cultura bem diferente da nossa. Aqui no Brasil a nossa forma de encarar a escola, os relacionamentos, os pais, o trabalho e a sociedade é bem diferente da forma que as pessoas que estão no EUA fazem. Aliais, diferente de qualquer outro lugar do mundo. E isso influência muito no nosso comportamento. Pois é cultura que estamos inseridos irá nos envolver em nossas decisões. 

 

Segundo que temos apenas um trecho da vida de Hannah, uma parte final da sua história, por isso fica complicado dizer em que tipo de construção de vida ela estava se baseando, quais foram as experiencias anteriores que poderiam ter levado a Hannah ser como foi durantes os episódios. Devemos levar em consideração de que a cultura, historia de vida, contexto familiar e a personalidade são fatores muito importantes quando vamos analisar um caso de suicídio, por isso é importante não confundir a licença poética da serie com a vida real. 

 

 

 

 

Apesar da Hannah ser a personagem principal da serie, ao decorrer da historia nos vamos conhecendo outros personagens que vão participando de forma muitas vezes superficiais, mas com imenso impacto na vida da Hannah.

 

E aos poucos vamos notando que muitos deles também passam por dores e momentos difíceis em suas vidas. Alguns tem problemas com os pais, outros com sua aparência, outros com a sexualidade. E nesta trama que se desenrola diversos pontos para discussão sobre o que pode comprometer o comportamento de um jovem. E isso tem que ser considerado também. 

 

O nível de negligencia que um deles recebe por parte da mãe é assustadoramente cruel e impactante para a formação da psique nesta fase da vida. Em outro personagem o nível de autoritarismo da mãe castra o filho em suas ações e em sua personalidade. Ou seja, um grupo cheio de momentos difíceis, com problemas familiares encarando a complicada fase da adolescência. 

 

Honestamente, não procurei culpados pelo o suicídio da Hannah durante os episódios, afinal, este não era o meu proposito, e também não estou aqui para julgar o que é certo ou errado. Por isso a minha visão pode ser bem diferente da sua, contudo, tenho que dizer que o ato do suicídio da Hannah é o sintoma de uma sociedade que vivemos atualmente. 

 

Se for para discutir sobre quem foi o culpado, deveríamos começar pelo meio social que aquele individuo age, como ele foi inserido e como ele contribuiu para as ações, esta analise se perderia no tempo, que talvez chegaríamos nas antigas civilizações e então iremos perceber que de nada adiantou esta discussão. Por isso o objetivo aqui e colocar alguns pontos em alerta para nós.

 

Ser aceito

Talvez este sim seja o grande mal da humanidade! Para ser aceito, somos capazes das maiores atrocidades consigo mesmo, apenas para fazer parte de um grupo, apenas para se sentir acolhido e simplesmente reconhecido e estável. Essa questão ainda é muito forte em nossas vidas e uma grande chave para as nossas maiores dores, enquanto nós tivermos essa necessidade de ser aceito pelos outros, muitas coisas ruins podem nos acontecer, muitas vezes vamos nos maltratar e jamais seremos aceitos, pois esta busca é pela a auto aceitação. 

 

Falar do outro

O maior veneno da nossa sociedade contra nós é o julgamento. E olha que ele pode ser feito em várias variações possíveis e mesmo assim o efeito dele será devastador. E então, replicamos aquilo que mais temos medo, julgamos as pessoas para que não tenhamos a dor de ser sempre julgado. E pronto, está aí um ciclo cheio de dor e auto sabotagem. Esse é um ponto que afeta todos nós e que leva a sociedade para um controle absurdamente funcional, afinal de contas, você mantém os comportamentos que mantém para não ser julgado. 

 

 

Culpa

Sabe que uma das maiores causas de suicídio é a culpa? Tudo começa com ela, ela é a força motriz principal para que a pessoa chegue a cogitar a possibilidade de tirar a própria vida, ela que incentiva a pessoa a ter comportamentos que ela mesma vai recriminar e irá gerar mais culpa. É como se fosse um vírus que se alimenta de si mesmo e acaba tomando conta de tudo o que a pessoa pensa. E a culpa é gerada no nosso dia a dia, simplesmente por uma coisa não dita, ou uma coisa dita.  

 

 

 

De fato o que mais me preocupou com a serie como um todo é como ainda estamos reproduzindo o peso da opinião dos outros na nossa vida pode ser determinante para que ela continue ou não. O quanto fazer e fazer pelo outro e nada para si mesmo parece o mais correto a se fazer. O quanto é enfatizado que você deve simplesmente agir 100% para o externo e nunca para o interno, aquele lugar que está a unica pessoa que realmente deveria importar na sua vida, você mesmo. 

 

Se tem uma coisa que a Hannah fez e isso pode ter sido fatal, foi o fato de esperar as pessoas todas as coisas que ela mesma negava para si. Foi de procurar nos outros todo o amor que ela mesma não dava para si. Foi esperar o reconhecimento das pessoas, sendo que ela mesma não se reconhecia. E foi isso que fez ela se sentir tão morta por dentro, o fato dela deixar de viver dentro da Hannah e querer viver pelos outros.

 

Pense nisso, tá?

 

 

É bem perigoso quando a gente começa a fazer estas melacas ai! 

 

 

 

 

 

Please reload

O que são crenças limitantes?

05.07.2018

Como criamos a Frustração

05.07.2018

Como a ansiedade muda a nossa percepção do mundo?

05.07.2018

Chorar bastante pode fazer bem

05.07.2018

1/4
Please reload

SOBRE O SITE

A ideia deste site é contribuir com informações sobre psicoterapia, psicologia, bem estar e saúde emocional.

 

 A psicóloga Beatriz Brandão atende na região de Moema em São Paulo, no seu consultório de psicoterapia.

 

Seja muito bem-vindo, e espero que você encontre aqui as ferramentas para fazer você compreender melhor o trabalho do psicólogo no processo de terapia e desenvolver o que há de melhor em você.

CONTATO

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Google+ Icon
  • White YouTube Icon

BEATRIZ BRANDÃO

PSICÓLOGA

MAPA SITE

|   CRIADO POR: BEATRIZ BRANDÃO | PSICÓLOGA BEATRIZ BRANDÃO   |  MOEMA | CLINICA PSICOLOGIA  |  ATENDIMENTO PSICOLOGICO | PSICOTERAPIA | PSICOLOGIA | 2017 |