11 Coisas que você jamais deveria fazer pelo seu parceiro

22/01/2018

Muitas pessoas precisam renunciar a algumas coisas em nome de um bem maior. Sobretudo, quando se trata da pessoa amada. Existem palavras e ações que, à primeira vista, perecem detalhes pequenos, mas na verdade nos impedem de sermos felizes.

 

 

1.  MUDAR SUA APARÊNCIA 

Aceitar a aparência de seu parceiro assim como ele é talvez seja o sinal mais óbvio do encantamento que a paixão causa. Pois todos nós, a princípio, nos apaixonamos pela imagem. Mas se você gosta daquilo que vê refletido no espelho mas, ao mesmo tempo, planeja mudar todo o seu vestuário ou começar a correr de manhã apenas para que seu companheiro goste mais de você, pense: você realmente acredita que está com a pessoa certa?

 

2. ACEITAR COMPARAÇÕES 

Os homens, assim como as mulheres, às vezes comparam suas atuais com as suas “ex“, seus pais, amigos e até mesmo vizinhos. ”A comparação é a morte da alegria“, já dizia o famoso escritor americano Mark Twain. Os cientistas acrescentam que é o caminho mais rápido para a depressão e não só para você, mas também para a pessoa que está sendo comparada. Mas é claro que você também não se sentiria bem escutando que “ela ganha mais” ou ”a lasanha dela é mais gostosa que a sua".

 

3. PERMITIR QUE O OUTRO TENTE MUDAR VOCÊ

A tentação de mudar nosso parceiro às vezes é grande e frequentemente tentamos fazê-lo. Em algumas ocasiões isso até pode ser útil: por exemplo, quando lhe ajudamos a abandonar algum hábito ruim. Mas, o que você pensaria se seu companheiro também não gostasse de alguma característica pessoal ou hobby que você tenha?

É importante entender se trata-se de um detalhe insignificante que você pode mudar pelo bem da relação, ou é algo que reflete sua natureza interior, sem a qual seu parceiro poderá "deixar de ser ele mesmo". Por exemplo:

  • Se teu companheiro se incomoda quando você toca bateria aos domingos, vale a pena considerar escolher outro lugar ou hora para suas aulas de música.

  • Mas, se a pessoa se coloca contra sua vontade de estudar música mesmo que seja em uma escola ou em casa, pense mais seriamente se essa relação tem mesmo futuro.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

4. FAZER TODAS AS TAREFAS

Não é segredo para mais ninguém que, distribuir as tarefas domésticas com base no gênero de alguém é uma ideia mais que ultrapassada. Os homens modernos há muito tempo sabem cozinhar bem e as mulheres, consertar torneiras. Sendo assim, nenhuma tarefa doméstica pode ser considerada como “feminina“ ou ”masculina". Portanto, não lave os pratos só porque você é mulher e nem exija que seu companheiro pendure um quadro na parede. Ambos podem fazê-lo. E devem dividir as tarefas domésticas de maneira mais justa. Segundo pesquisas, os casais que realizam esse tipo de trabalhos juntos estão mais satisfeitos com a vida pessoal.

 

5. SER RIDICULARIZADO 

Um pouco de ironia saudável na relação é fantástico, mas a palavra chave aqui é "saudável". Suportar as piadinhas sarcásticas que beiram a falta de respeito não é nada bom. E não pense que você tem que apenas se acostumar e ignorar. O pesquisador de casamentos americano John Gottman e sua equipe, chegaram à conclusão de que um dos principais motivos de divórcios é o sarcasmo excessivo.

 

6. ESQUECER DOS AMIGOS E DA FAMÍLIA 

Nossos amigos queridos nos apoiam independentemente se estamos sozinhos ou não. Eles também precisam da nossa atenção e nosso companheiro não deve ser um obstáculo para isso. As emoções que recebemos conversando com nossos amigos e membros de nossa família são muito diferentes das que sentimos com nosso parceiro. Não são piores nem melhores, apenas são diferentes e nós precisamos delas para nos sentirmos como pessoas completas.

 

7.DEPENDER FINANCEIRAMENTE DO PARCEIRO

Possuir uma conta conjunta não é ruim, mas também não te recomendamos que encerre aquela sua conta pessoal. Não é traição nem avareza, e sim uma maneira de sair de alguma situação complicada por conta própria. Uma emergência pode acontecer com qualquer um. E ter um dinheirinho guardado te dá uma certa estabilidade para não precisar se preocupar com os detalhes e prestar mais atenção em sua relação.

 

8. NÃO TER CONFIANÇA NO PARCEIRO

Segundo os psicólogos, a confiança é indispensável para uma relação saudável. Se confiamos em nosso parceiro, relaxamos e desfrutamos mais da vida. Tente se lembrar de seus momentos felizes e como você se sentia nessas oportunidades,

 

É importante entender que a habilidade de ter confiança em seu parceiro não depende somente dele. E educação, os traumas psicológicos e as experiências negativas afetam nossa habilidade de estar abertos e o melhor que você pode fazer nessas situações é procurar um especialista. Mas, se a desconfiança está sendo causada por mentiras ou por irresponsabilidades, pare e pergunte: "Estou mesmo disposto a continuar vivendo com essa pessoa?"

 

9. AGIR CONTRA SEUS PRINCÍPIOS

Todos temos nossas próprias convicções baseadas na educação, experiências e as percepções pessoais do mundo. E cruzar esses limites significa nos privarmos da possibilidade de viver uma vida plena. Pois a felicidade depende, em grande parte, do quanto a realidade coincide com nossas noções sobre ela. Se o seu parceiro tem ideias com as quais você não concorda ou faz pouco das coisas que são importantes para você, você não pode proibi-lo. Mas também tem todo o direito a não querer apoiá-lo ou concordar com seus "joguinhos".

 

10. IGNORAR SEUS DESEJOS

Quanto mais vezes cometemos erros que estão contra nossa vontade, mais cresce nossa inconformidade conosco mesmos. Como resultado, sentimos que "tudo está bem mas alguma coisa está faltando", motivo pelo qual a vida vai se tornando cada vez mais monótona e sem cor.

Portanto, cada vez que você vai ao shopping — que você odeia — ao invés de ir ao lago — que você adora — escute sua própria voz interior: você não está sentindo como se vivesse a vida de outra pessoa a não a sua?

 

11. RENUNCIAR SEUS SONHOS

 

Claro que todos temos de sacrificar algo pela relação, pois a sua duração depende da nossa habilidade de chegar a um acordo. Mas quando você tem que escolher entre viajar à África, sonho que tem desde que estava com 5 anos de idade, ou passar as férias assistindo televisão com seu parceiro apenas porque ele quer, surge a pergunta: o que será que mais importa? Seus sonhos ou sua relação? Existe apenas uma opção correta: a pessoa que verdadeiramente ama você jamais vai te obrigar a escolher entre "eu ou seu sonho".

 

E por último. Qualquer decisão que você a tomam como casal não deve privar da felicidade nem você nem a metade da sua laranja. Pois uma pessoa infeliz não pode formar uma relação saudável, por mais que tente.

Please reload

O que são crenças limitantes?

05.07.2018

Como criamos a Frustração

05.07.2018

Como a ansiedade muda a nossa percepção do mundo?

05.07.2018

Chorar bastante pode fazer bem

05.07.2018

1/4
Please reload

SOBRE O SITE

A ideia deste site é contribuir com informações sobre psicoterapia, psicologia, bem estar e saúde emocional.

 

 A psicóloga Beatriz Brandão atende na região de Moema em São Paulo, no seu consultório de psicoterapia.

 

Seja muito bem-vindo, e espero que você encontre aqui as ferramentas para fazer você compreender melhor o trabalho do psicólogo no processo de terapia e desenvolver o que há de melhor em você.

CONTATO

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Google+ Icon
  • White YouTube Icon

BEATRIZ BRANDÃO

PSICÓLOGA

MAPA SITE

|   CRIADO POR: BEATRIZ BRANDÃO | PSICÓLOGA BEATRIZ BRANDÃO   |  MOEMA | CLINICA PSICOLOGIA  |  ATENDIMENTO PSICOLOGICO | PSICOTERAPIA | PSICOLOGIA | 2017 |