VAIDADE: Quando pode ser um transtorno?

Observando os novos aplicativos de fotos, que já vem com maquiagem e um possível photoshop pronto para ser usado, distorcendo a imagem real das pessoas, resolvi escrever sobre o Transtorno Dismórfico Corporal, pois percebo, também, em grande escala pessoas com esse transtorno, profissionais da área de estética e cirurgiões plásticos que desconhecem esse quadro.

 

 

Nesse transtorno, a pessoa enxerga em si mesma  defeitos que muitas vezes não existem e, assim, dá início a uma busca incansável pela perfeição, fazendo "correções" constantes.


Esse transtorno é também denominado dismorfofobia e é um transtorno psicológico caracterizado pela preocupação obsessiva com algum defeito inexistente ou mínimo na aparência física.


O diagnóstico pode ser difícil, pois em nossa sociedade atual os sintomas são semelhantes a uma vaidade excessiva. Uso exagerado de cosméticos para disfarçar imperfeições, cuidados exagerados com os cabelos, dietas inconsequentes, bulimia, anorexia, exercícios exagerados, uso de roupas que escondem o corpo são algumas características dos sintomas.

A característica principal da dismorfofobia ou síndrome da distorção de imagem é que a opinião do paciente a respeito de sua própria aparência, não é compartilhada pela opinião das pessoas que convivem com ela. Mas, assim mesmo, esse paciente é totalmente resistente a essas opiniões.


Esses pacientes procuram incansavelmente tratamentos estéticos, de emagrecimento, cirurgias plásticas e cosmetória, mas nunca se sentem satisfeitos com tratamento algum, pois seu problema está na própria auto-aceitação e não no tratamento.

As causas desse transtorno podem variar de paciente para paciente: sentimentos de abandono, pais muito exigentes com o aspecto físico, deficiência de carinho e de aprovação, levando a uma autocrítica destrutiva, baixa auto-estima, valorização excessiva de cicatrizes e marcas mínimas, ideação irreal do envelhecimento.

 

A mídia coopera com este transtorno também exibindo figuras humanas padronizadas.
O tratamento desses pacientes é dificultado, pois há uma justificativa de que isso é "vaidade"e classificam-se positivamente por "cuidar da aparência".

 

No entanto, a dismorfofobia é fonte de grande sofrimento e angústia com a própria aparência.


Esse transtorno é uma das derivações do TOC,  transtorno Obsessivo Compulsivo, e o tratamento consiste em psicoterapia, longa e trabalhosa, e às vezes o uso de medicamentos para apoio dos sentimentos depressivos que acompanham o quadro.

 

Please reload

O que são crenças limitantes?

05.07.2018

Como criamos a Frustração

05.07.2018

Como a ansiedade muda a nossa percepção do mundo?

05.07.2018

Chorar bastante pode fazer bem

05.07.2018

1/4
Please reload

SOBRE O SITE

A ideia deste site é contribuir com informações sobre psicoterapia, psicologia, bem estar e saúde emocional.

 

 A psicóloga Beatriz Brandão atende na região de Moema em São Paulo, no seu consultório de psicoterapia.

 

Seja muito bem-vindo, e espero que você encontre aqui as ferramentas para fazer você compreender melhor o trabalho do psicólogo no processo de terapia e desenvolver o que há de melhor em você.

CONTATO

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Google+ Icon
  • White YouTube Icon

BEATRIZ BRANDÃO

PSICÓLOGA

MAPA SITE

|   CRIADO POR: BEATRIZ BRANDÃO | PSICÓLOGA BEATRIZ BRANDÃO   |  MOEMA | CLINICA PSICOLOGIA  |  ATENDIMENTO PSICOLOGICO | PSICOTERAPIA | PSICOLOGIA | 2017 |