Como saber onde estão meus problemas?

São inúmeras as formas de acesso ao inconsciente. Seu inconsciente não lhe engana, é nele que estão todos os registros que vivenciamos, até mesmo aqueles que nos passam despercebidos.

 
Muitas vezes em nossas vidas, somos levados por impressões e sensações que não condizem com a realidade. Vivemos aquilo que nossa imaginação nos mostra.


Criamos em nossa vida uma falsa realidade a fim de amortizar um sofrimento eminente. Porém, até quando viver assim? Um dia o basta vem, ou o que dizem popularmente a casa cai, trata-se muitas vezes de um colapso em um determinado aspecto de nossa vida, que nos leva a repensar o todo.


Quando a casa cai temos a sensação de perder o chão, e questionar tudo, perguntando por que comigo? Nos sentimos vítimas e afundamos em um mar de pensamentos e emoções negativas sem fim, que só servem para fazer com que o sofrimento perdure por mais tempo.
 

Se algo veio para lhe demonstrar uma situação, pode ter certeza que você construiu a situação com repetidas ações, que criaram em seu inconsciente, mecanismos para que você repetisse situações na sua vida, para desenvolver a si mesmo.


A seguir, conto-lhes uma história de um atendimento que fiz recentemente que demonstra que é possível colocarmos nossa vida em ordem quando encontramos a origem de nossos problemas. 


Há alguns meses, iniciei o processo de psicoterapia com uma paciente. Na primeira sessão, informou-me que o principal problema em sua vida era a parte financeira, nada fluía, o ambiente em seu trabalho estava péssimo, as tarefas não rendiam, cometia erros constantes e já havia passado por algumas advertências, o que nunca havia ocorrido antes.

O dinheiro era sempre gasto sem planejamento, ou seja, despesas inesperadas sempre apareciam e o dinheiro sumia de suas mãos. E não sabia mais o que fazer pois as dívidas se acumulavam, além de uma preocupação maior que era a compra do apartamento onde morava.

No acordo da separação, ela tinha um prazo de carência de 5 anos para comprar a metade do apartamento do ex-marido e poder continuar a morar ali, e até então, nem imaginava a menor possibilidade disto se concretizar.

Contou-me ainda que havia passado por um processo de separação muito dolorido, que ainda amava muito o ex-marido, e que nunca imaginaria como poderia viver sem ele. O sofrimento era latente e perceptível em suas palavras. Disse-me ainda que isto no momento não importava muito pois a preocupação financeira era maior.

Quanto à sua saúde, estava se tratando de um início de síndrome do pânico, mas me disse que tudo estava sob controle à base de remédios.

 

Iniciei o processo das atividades terapêuticas para começar a trabalhar os objetivos dela.


Os pensamentos obsessivos que ficamos remoendo ao longo de nossas vidas, cansam mais do que uma atividade física intensa. Nossa mente é capaz de despender uma quantidade imensa de energia, sem nenhuma concretização. O pensar simplesmente não nos leva a nada concreto simplesmente nos faz mal e nos coloca no estado de freqüência negativa.

Quem não tem domínio sobre sua mente se torna escravo dela, alimenta intrigas e faz com que a qualidade de seus pensamentos seja péssima.


As situações emocionais desgastantes de tristezas e raivas intensas desgastam uma energia imensa, baixando nossa freqüência e interferem como um todo em nossas vidas.


Inúmeros são os casos em que tratamos aspectos emocionais e a vida da pessoa desabrocha em todos os aspectos. Este foi o final do caso que relato acima.

 

Após o processo de psicoterapia ser iniciado e ela começou a realizar os execícios com regularidade e percebeu como havia programado o seu inconsciente para boicotar a si mesma, os problemas financeiros começaram a serem resolvidos, aparecendo novas perceptivas e a síndrome do pânico desapareceu por completo.


Na parte financeira, o equilíbrio também se constatou, pelo seu aumento de concentração no trabalho e resultados efetivos foram vivenciados.


A compra do apartamento também foi concretizada, a empresa onde ela trabalhava foi vendida para outro grupo e, além de continuar na nova fusão, pelo acordo realizado, a dívida do apartamento foi saldada.

Histórias como estas nos levam a pensar em até quando nos permitiremos viver situações complicadas e de dor.  

 

Pense agora, no que você vem repetindo para si mesmo e vem programando o seu sistema incosnciente a repetir em sua vida. Será que não está na hora de você encontrar a si mesmo e perceber o que você tem dito a si mesmo?

Please reload

O que são crenças limitantes?

05.07.2018

Como criamos a Frustração

05.07.2018

Como a ansiedade muda a nossa percepção do mundo?

05.07.2018

Chorar bastante pode fazer bem

05.07.2018

1/4
Please reload

Título 2