Depressão: Eu já estive lá!

Para muitos os psicólogos ou médicos são pessoas isentas de doenças e de transtornos psicológicos, são quase que seres super humanos e semi deuses! Mas eu posso te dizer que não! Os melhores são aqueles que assumem que erraram e tiveram problemas, pois são estes que possuem a capacidade de compreender melhor o que seu paciente está passando, afinal, ele já esteve lá também!

 

  

 

É incomum um psicólogo vir a publico assumir: Oi, eu já tive depressão! Pois bem, eu sou Beatriz e te digo já estive lá!

 


Mas eu preciso contar para você que está passando por isso, pois talvez assim você entenda que existe sim, uma saída e que nem tudo está perdido!

 

 

Nunca soube ao certo que idade a depressão chegou, por ser uma doença silenciosa, ela vai te consumindo aos poucos, você na verdade não sabe que ela está lá, mas acredite: Sim, ela está e bem viva. Como um parasita que vai se alimentando de cada dor que você recebe com os acontecimentos da sua vida e aos poucos vai matando cada coisa boa que existe em você! 

 

Quando eu tinha 16 anos, eu tive a minha primeira crise de depressão na época foi encarado como uma simples: "Besteira de adolescente", fiquei por 5 meses trancada no quarto ouvindo legião urbana e simplesmente tentando entender o que o Renato Russo estava dizendo com aquelas letras cheias de significados que para mim me deixavam ocupada!

 

Como eu não cuidei disto, usei um método que todos nós usamos: Ignorei e simplesmente segui com os conselhos errados de amigos, fazendo o sorriso falso e fingindo que eu extremamente feliz: Resultado não poderia ter sido o pior possível! 

 

Aos 19 anos, eu tive a minha primeira crise de pânico, simplesmente travei na rua como um poste velho e não conseguia falar meu nome. Após os pequenos minutos de paralisia que pareciam para mim horas, voltei para casa com vergonha e medo da morte! Sensação horrível aquela, claro que eu culpei a rua e então me deixei ficar em casa por 1 ano! Sim, fiquei em casa por 1 ano sem sair, por medo de ter aquele sufocamento de alma novamente!

 

Finalmente aos 20 anos, eu comecei o tratamento, mas você acha que ele foi fácil? Claro que não! Eu fui em psiquiatras que nem olhavam na minha cara e me entupiam de remédios, eu fui exatamente em 4 psicólogos que eu simplesmente tinha vontade de bater na cara deles, com tanto desdenho que eu sentia que eles estava me atendendo! É horrível demais você ter que criar coragem suficiente para sair da cama, é como pegar toda a energia que te reste de vida e colocar para ir buscar ajuda, chegando lá você ainda é tratado como apenas "mais um".

 

 

 

"Sensação horrível  aquela, claro que eu culpei a rua e então me deixei ficar em casa por 1 ano!"

 

 

 

 

  

 

 

 

Foi então que eu decidi que não dava mais para continuar daquele jeito! Eu acordava todos os dias com vontade de que o dia acabasse logo, eu não queria tomar banho, não queria comer, não queria ver ninguém e o simples fato de estar acordada me deixava furiosa! Sim, apesar da imensa tristeza e o vazio que me consumia por dentro, eu era muito irritada e não conseguir deixar ninguém se aproximar de mim! Eu realmente acreditava que eu era uma criação maldita e que ninguém merecia chegar perto de mim. 

 

Após essas péssimas experiencias com tentativas de tratamento, eu simplesmente tinha as seguintes opções: Suicídio ou pedir ajuda. Eu estava em um estado tão profundo da depressão, que eu realmente acreditava que eu era tão inútil que eu não conseguiria me matar de forma eficaz e só o fato de pensar em me matar e não conseguir, me deixava tão irritada por comprovar novamente a minha inutilidade que eu desistia da ideia. 

 

Conheci um ótimo psicologo, que me ajudou a ver de forma diferente a profissão e realmente me tornou uma psicóloga! Ele fez com que eu entendesse que eu poderia ter uma doença que era comum, mas eu era a única, a única Beatriz Brandão e por isso ele fez com que eu criasse um vinculo especial e tivesse coragem para conseguir ir no psiquiatra e começar o meu tratamento.

 

Hoje em dia, 10 anos depois do meu tratamento, eu posso dizer que eu já estive no inferno e sai de lá viva! Quando um paciente chega no meu consultório, a única coisa que eu desejo é que ele saiba, que estou com ele, pois eu já senti na pele o que é viver todos os dias com ódio de si mesmo. E um dos motivos que eu me tornei psicóloga, pode até parecer clichê, mas é realmente ajudar as pessoas que passam por essa situação, pois NINGUÉM do universo merece estes dias terríveis e angustiantes.

 

Sempre tento dar o melhor de mim para cada paciente, para que eles nunca se sintam como eu me senti quando fui buscar ajuda nas primeiras vezes. 

 

Eu sei como você se sente, eu sei que é impossível sair de casa e que cada dia pesa mais do que uma tonelada nas suas costas, por isso escrevo estes textos para que eles cheguem até você e talvez, você tenha a oportunidade que eu tive de receber um tratamento adequado e que seja você aqui um dia, sentado escrevendo como venceu a sua depressão e de como isso te tornou mais forte!

 

Confio em você!

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

O que são crenças limitantes?

05.07.2018

Como criamos a Frustração

05.07.2018

Como a ansiedade muda a nossa percepção do mundo?

05.07.2018

Chorar bastante pode fazer bem

05.07.2018

1/4
Please reload

SOBRE O SITE

A ideia deste site é contribuir com informações sobre psicoterapia, psicologia, bem estar e saúde emocional.

 

 A psicóloga Beatriz Brandão atende na região de Moema em São Paulo, no seu consultório de psicoterapia.

 

Seja muito bem-vindo, e espero que você encontre aqui as ferramentas para fazer você compreender melhor o trabalho do psicólogo no processo de terapia e desenvolver o que há de melhor em você.

CONTATO

  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Google+ Icon
  • White YouTube Icon

BEATRIZ BRANDÃO

PSICÓLOGA

MAPA SITE

|   CRIADO POR: BEATRIZ BRANDÃO | PSICÓLOGA BEATRIZ BRANDÃO   |  MOEMA | CLINICA PSICOLOGIA  |  ATENDIMENTO PSICOLOGICO | PSICOTERAPIA | PSICOLOGIA | 2017 |